O seu Blog de Psicometria

Tenha acesso à nossa enciclopédia virtual de conhecimento em Psicometria e Análise de Dados

Junte-se a mais de 22.300 membros e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Compartilhe nas Redes Sociais

O que é Anova Fatorial

Alex França

ago 27, 2023

Aqui no blog já falamos sobre Análise de Variância, mais conhecida como ANOVA, a qual é uma ferramenta estatística essencial para muitos pesquisadores, especialmente na área da psicologia.

Mas vale a pena refrescar a memória de vocês. A ANOVA é uma abreviação de “Analysis of Variance”, ou “Análise de Variância” em português.

É um método estatístico que permite comparar as médias de diferentes grupos, determinando se existem diferenças estatisticamente significativas entre eles.

Para saber mais, você pode visitar nosso post completo sobre ANOVA, pois, neste post, exploraremos a ANOVA Fatorial em seus detalhes e suposições.

ANOVA DE 1 via vs ANOVA Fatorial

ANOVA de 1 via: Analisa a variância de uma variável dependente com base em um único fator independente. Pode-se pensar nela como um teste para avaliar o impacto de uma única variável (por exemplo, o efeito de diferentes terapias em pacientes).

ANOVA Fatorial: Examina a variância em uma variável dependente que é influenciada por dois ou mais fatores independentes.

Por exemplo, imagine que seu interesse seja verificar o efeito da escolaridade (três níveis), mas também do sexo (masculino ou feminino) em uma medida de memória. Veja que agora a ANOVA tem dois fatores (escolaridade e sexo), o primeiro fator tem três níveis e o segundo tem 2 níveis.

A ANOVA Fatorial é utilizada quando estamos interessados em perguntas mais complexas, como: “A terapia A é mais eficaz para homens do que para mulheres, em comparação com a terapia B?”.

O principal ponto da ANOVA Fatorial é que ela não apenas analisa o impacto individual de cada fator, mas também investiga as possíveis interações entre eles.

Isto é, nos permite observar não apenas os efeitos principais de cada fator, mas também as interações. Uma interação significativa indica que o efeito de um fator sobre a variável dependente varia dependendo dos níveis do outro fator.

Suposições da ANOVA Fatorial

Para realizar uma ANOVA Fatorial, certas suposições devem ser satisfeitas:

Normalidade: Os resíduos (diferença entre a observação e a previsão do modelo) devem ser aproximadamente normalmente distribuídos.

Homocedasticidade: A variância dos resíduos deve ser igual em todos os níveis do fator independente.

Independência: As observações devem ser independentes umas das outras. Isso geralmente é garantido por um bom desenho experimental.

Medições em nível intervalar ou de razão: A variável dependente deve ser contínua.

Quando os critérios estabelecidos pelo modelo não são cumpridos, pode-se adotar de testes não-paramétricos de natureza semelhante.

Conclusão

A ANOVA Fatorial é uma ferramenta estatística poderosa e versátil, especialmente útil quando se deseja investigar a influência de vários fatores e suas interações sobre uma variável de interesse.

Para pesquisadores em psicologia e outras ciências sociais, ela fornece insights valiosos, permitindo uma compreensão mais profunda dos fenômenos em estudo. No entanto, como qualquer ferramenta estatística, é essencial garantir que as suposições sejam atendidas e que a análise seja interpretada corretamente.

Esperamos que este post tenha ajudado você a entender melhor esses conceitos e como aplicá-los na prática.

Aproveite e inscreva-se no canal e aprimore suas habilidades em análise de dados!

Gostou desse conteúdo? Precisa aprender Análise de dados? Faça parte da Psicometria Online Academy: a maior formação de pesquisadores quantitativos da América Latina. Conheça toda nossa estrutura aqui e nunca mais passe trabalho sozinho(a).

Bruno Figueiredo Damásio

Sou Psicólogo, mestre e doutor em Psicologia. Venho me dedicando à Psicometria desde 2007.

Fui professor e chefe do Departamento de Psicometria da UFRJ durante os anos de 2013 a 2020. Fui editor-chefe da revista Trends in Psychology, da Sociedade Brasileira de Psicologia (SBP) e Editor-Associado da Spanish Journal of Psychology, na sub-seção Psicometria e Métodos Quantitativos.

Tenho mais de 50 artigos publicados e mais de 5000 citações, nas melhores revistas nacionais e internacionais.

Compartilhe sua opinião sobre este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts sugeridos

Como lidar com os pressupostos da Análise de Variância (ANOVA)?

Qual é a diferença entre covariância e correlação?

Diferenças entre Modelos Lineares e Modelos Lineares Generalizados (GLMs)

Conteúdo

Mais lidos

O que é regressão linear simples?

O que é correlação de Pearson?

O que é o teste de Shapiro-Wilk?

Teste t de Student

Postados recentemente

Curso R para Iniciantes

Como criar gráficos no R com o ggplot2?

Quais pacotes usar na análise fatorial exploratória no R?

Como reestruturar o formato do banco de dados no R?

Deseja se tornar completamente autônomo e independente na análise dos seus dados?

Junte-se a mais de 22.300 membros e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Bruno Figueiredo Damásio

Sou Psicólogo, mestre e doutor em Psicologia. Venho me dedicando à Psicometria desde 2007.

 

Fui professor e chefe do Departamento de Psicometria da UFRJ durante os anos de 2013 a 2020. Fui editor-chefe da revista Trends in Psychology, da Sociedade Brasileira de Psicologia (SBP) e Editor-Associado da Spanish Journal of Psychology, na sub-seção Psicometria e Métodos Quantitativos.

 

Tenho mais de 50 artigos publicados e mais de 5000 citações, nas melhores revistas nacionais e internacionais. Atualmente, me dedico a formação de novos pesquisadores, através da Psicometria Online Academy. Minha missão é ampliar a formação em Psicometria no Brasil e lhe auxiliar a conquistar os seus objetivos profissionais.

Compartilhe sua opinião sobre este post

Posts sugeridos

Como lidar com os pressupostos da Análise de Variância (ANOVA)?

Qual é a diferença entre covariância e correlação?

Diferenças entre Modelos Lineares e Modelos Lineares Generalizados (GLMs)

Categorias